Uber vai integrar carros a transporte público em São Paulo

Por Valor Econômico

Segundo a companhia, de 10% a 30% dos usuários da capital paulista vão começar a
perceber a novidade nas próximas semanas.

O Uber vai começar a oferecer, em São Paulo, opções de integração entre os carros
particulares e o transporte público por meio de seu aplicativo. Intitulada Uber
Transit, a novidade foi anunciada ontem, em San Francisco, onde ocorre a
conferência global da empresa de compartilhamento de carros.

Ainda não há data oficial para o lançamento; a ideia, segundo a empresa, é que de
10% a 30% dos usuários na capital paulista comecem a perceber a novidade em
seus aplicativos a partir das próximas semanas. O modelo é semelhante ao que a
empresa está testando em três cidades americanas: Denver, Boston e Dallas.
Na tela do aplicativo, o usuário poderá consultar as opções de ônibus, metrôs e
trens que poderão ser conjugadas com os carros particulares dos motoristas que
trabalham com o Uber. O aplicativo também vai fornecer estimativas de horários de
chegadas dos ônibus e trens.

O Uber vai utilizar as bases de dados da MoveIt, startup recentemente adquirida
pela companhia que fornece mapeamento remoto de infraestrutura de transporte
público em grandes cidades. “O que fizemos foi adequar a experiência para
integração no aplicativo original do Uber”, explicou David Reich, chefe do segmento
de trânsito da companhia.

Segundo Reich, em muitas situações, o transporte público é mais barato e mais
rápido. “Precisamos mostrar aos nossos clientes essas opções”, afirmou.
O executivo disse ser um compromisso do Uber com as agências de trânsito em
todo o mundo: fazer da posse individual de carros uma coisa do passado.

Em algumas cidades, como já ocorre em Denver, haverá também a opção de
comprar o bilhete para o transporte público no aplicativo. O sistema gera na tela um
código QR – aquele que mostra diversos desenhos dentro de um pequeno quadrado
– que pode ser usado para acessar catracas ou bilheterias do transporte público.

Segundo Dara Khosrowshahi, diretor-presidente do Uber, a novidade estará
disponível também em Paris, na Cidade do México e em San Francisco, cidade natal
da companhia fundada em 2009. O plano é que ao menos mais 10 cidades no
mundo recebam a atualização do Uber Transit até o fim de 2019. Ainda não há
previsão de chegada desse recurso à capital paulista, mas a secretaria de Transporte
do Estado vem estabelecendo parcerias com o Uber para testar a venda de
passagens por intermédio do aplicativo.

Em algumas cidades dos EUA o aplicativo já promove integração com o mapa
cicloviário e as bicicletas da Jump, outra startup recentemente adquirida pelo Uber.

As baterias elétricas podem ser retiradas das bicicletas e recarregadas em
quiosques que funcionam em lugares públicos. O plano do Uber é trazer serviços da
Jump para as cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro até o fim do ano.

A proposta é que o usuário possa ir até os quiosques tanto para retirar uma bicicleta
como uma baterias recarregada.

“Com a impulsão da bateria, a bicicleta da Jump parece uma esteira de aeroporto”,
brincou Rachel Halt, diretora de mobilidade do Uber.

O repórter viajou a convite do Uber.

valorinveste.com

Leia sobre investimentos e finanças pessoais no site www.valorinveste.com

 

Publicado originalmente em 27/09/2019 em Valor

 

Chat WhatsApp